| 7 Comentários | Partilhar

Coerência? Não, obrigado!

| 17 Comentários | Partilhar
«Abortar como opção quando já bate um coração? Não, obrigada»
- Cartaz publicitário da campanha do «não» no referendo sobre o aborto.

«O ensino tradicional da Igreja não exclui, depois de comprovadas cabalmente a identidade e a responsabilidade de culpado, o recurso à pena de morte»
«Traditionalis doctrina Ecclesiae, supposita plena determinatione identitatis et responsabilitatis illius qui culpabilis est, recursum ad poenam mortis non excludit» (na versão original em Latim).
- Parágrafo 2.267 do «Catecismo da Igreja Católica» (versão em Latim no site oficial do Vaticano)


Post retirado do Random Precision

2006

| 2 Comentários | Partilhar
2006 surgiu-nos com esperança renovada: Cavaco Silva foi eleito Presidente da República à primeira volta. A esperança depressa se transformou em apreensão. A salutar convivência entre instituições depressa foi substituída por uma despropositada aliança entre Belém e S. Bento. Enquanto Cavaco e Sócrates tocam a mesma música, assistimos ao encerramento de várias Maternidades, sobretudo nas regiões mais carenciadas e desertificadas do país. Portugal está à venda a preço de saldo: até o nascer é transferido para Espanha, seja em Zamora ou Badajoz.
As greves sucedem-se a um ritmo até então desconhecido, mas o Governo segue autista no seu empreendimento socialista, digo, liberal. Sócrates quer para si mesmo a imagem de um líder autoritário que precisa de contestação para se sentir legitimado. E assistimos à transmutação dos socialistas: é vê-los, com o mesmo entusiasmo com que idolatraram Guterres, a aplaudirem, num uníssono quase insuportável, a antítese do Guterrismo, personificada em Sócrates. O governo insiste no erro e leva avante o projecto da TLEBS. E quantas mais são as vozes de contestação maior a obstinação do governo no desiderato.
E, se da oposição se esperariam melhores ventos, a sua completa inexistência e ineficiência é quase a única notícia. E digo, quase, porque existe um tal Rui Rio que se lembrou de entregar o Teatro Municipal do Porto, de seu nome Rivoli, a um empresário, para dele fazer lucro à custa do investimento público na sua reconstrução.
No entretanto, ocupam-nos os dias com três enfadonhas letrinhas: a OPA foi notícia durante dias a fio. E a Autoridade da Concorrência, da qual não se conhece concorrência, demorou vários meses a dar o anunciado aval à operação de concentração das telecomunicações nacionais nas mãos de um único empresário.
No entretanto, o país volta a discutir o aborto. E esta discussão surge, mais uma vez, viciada: quer-se fazer passar a ideia de que o que se discute são os prós e os contras de tão tenebrosa prática quando o que está em discussão é nada mais nada menos que a descriminalização de uma realidade que há-de continuar a suceder em vãos de escada – haja crime ou não, cumpra-se a lei ou nem por isso.
E já que falamos em cumprimento da lei, 2006 também foi um ano pródigo em mostrar-nos que Portugal é menos brando do que o desejável no que é desejável ser-se brando. Percebemos que o Alterne que por aí anda levou à agressão de um vereador socialista, como prémio pela denúncia de supostos crimes praticados por alguns dirigentes desportivos do país. Crimes pelos quais todos continuam impunes.
E em 2006 morreu Saddam, às mãos de uma assassina e ilegal coligação de algumas das chamadas democracias ocidentais. Os Estados Unidos da América prosseguem uma política externa esquizofrénica, sob o comando do não menos esquizofrénico Bush, que vai semeando ódios por todo o mundo. Nem quero imaginar como será a tempestuosa colheita que lhes está destinada.
O Papa Bento XVI confirmou, em 2006, as piores expectativas: prosseguiu uma política de ingerência da Igreja Católica nos assuntos internos dos países maioritariamente católicos e de discriminação das pessoas pelo não cumprimento daqueles que são os supostos preceitos, sobretudo sexuais e reprodutivos, da Igreja Católica. A condenação de Welby fica-nos como o pior escolho da actuação da Igreja Católica neste 2006: a suprema incoerência de condenar e negar exéquias a um homem que apenas disse não querer suportar por mais tempo os tratamentos a que se encontrava votado, mercê de uma doença intratável e altamente debilitante.
2006 foi o ano em que a cidade luz voltou a iluminar-se de raiva e destruição com o fogo ateado por alguns dos jovens habitantes dos subúrbios parisienses. Chamas de intolerância que também atearam centenas de bandeiras da Dinamarca na chamada «cartoonvolução». A ruína do valor da liberdade de expressão esteve perto. Felizmente houve uma Europa que não baqueou.

2006 não foi um bom ano.
2007 não pode ser pior.
Mas temo que sim.

Lei do talião

| 5 Comentários | Partilhar
A Lei do talião (do latim Lex Talionis: lex: lei e talis: tal, parelho) consiste na justa reciprocidade do crime e da pena. Esta lei é freqüentemente simbolizada pela expressão olho por olho, dente por dente. É uma das mais antigas leis existentes.

Origem
Os primeiros indícios da lei do talião foram encontrados no Código de Hamurabi, em 1730 a.C., no reino da Babilônia. Essa lei permite evitar que as pessoas façam justiça elas mesmas, introduzindo, assim, um início de ordem na sociedade com relação ao tratamento de crimes e delitos.
Escreve-se com inicial minúscula, pois não se trata, como muitos pensam, de nome próprio. Encerra a idéia de correspondência de correlação e semelhança entre o mal causado a alguém e o castigo imposto a quem o causou: para tal crime, tal e qual pena. Está no Direito hebraico (Êxodo, cap. 21, vers. 23/5): o criminoso é punido taliter, ou seja, talmente, de maneira igual ao dano causado a outrem.

Tenho vergonha...

| 18 Comentários | Partilhar



Afinal do que falamos quando falamos em democracias ocidentais?

Vocações

| 1 Comentário | Partilhar
Após o repto do rmp no Incidental repetido pelo scrubs no Blues por um Interno, efectuei o extenso Medical Specialty Aptitude Test.
Eis os resultados:

1 Psychiatry
2 Med Oncology
3 Family Practice
4 General Internal Med

[citação do dia]

| 3 Comentários | Partilhar
«O Administrador apostólico da diocese do Porto comparou o aborto ao abandono de nasciturnos nas rodas dos mosteiros. Quando o Administrador fala aos fiéis nas cerimónias da diocese é, para eles, uma autoridade. Quando fala do aborto, num contexto de consulta referendária nacional, é o senhor João Miranda. A opinião do senhor João Miranda é tão respeitável como a de qualquer outro cidadão. Deve ser submetida aos mesmos critérios de apreciação e valoração. Não devia ter mais eco que a opinião do senhor Horácio Rufino, meu vizinho do 19, que acha que a roda dos mosteiros também rodava para fora.»

Incompetência?

| 2 Comentários | Partilhar
A AGERE revelou-se impotente para recolher o lixo que os bracarenses depositaram ao longo da quadra festiva e disso fez-se notícia.
Do que não se faz notícia? Do lixo que diariamente é espalhado pelos cães vadios que andam pela rua em que vivo, mesmo após inúmeras denúncias junto das autoridades competentes.
Pura incompetência.
| 0 Comentários | Partilhar
2006 em 12 palavras


Natal

| 3 Comentários | Partilhar
SIC foi a mais vista durante o Natal

Vodafone registou 181 milhões de SMS

Christmas Wars Lucrative for Advocacy Groups

Consumismo do Natal reforça a guerra das consolas

Desigualdade na campanha

| 14 Comentários | Partilhar
Hoje houve campanha a favor do Não em milhares de Igrejas, nos jornais, nas televisões e nas rádios sem direito a contraditório.

Não há maior atraso que um país em que a política se decide nos locais de culto.
| 4 Comentários | Partilhar

Gerês, por Maximino Gomes



«Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.»

Em Braga ou em Guimarães?

| 7 Comentários | Partilhar
Confesso que me assustei quando vi Braga escrito a vermelho.

Um gesto bonito

| 3 Comentários | Partilhar
Estudantes de medicina dão prendas aos doentes

«Um carinho pelo Natal é o que o Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade do Minho se propõe distribuir pelos doentes internados no hospital de Braga nesta quadra natalícia. Na véspera de Natal (domingo), os estudantes de medicina vão levar um pequeno presente a todos os doentes internados no S. Marcos, "carinho" extensivo a todas as crianças internados nos hospitais de Braga e Guimarães, revelou ao "Correio do Minho" Sónia Duarte, a presidente do NEMUM.
Os brinquedos a entregar às crianças que ficam nos Serviços de Pediatria do S. Marcos e de Nª Srª da Oliveira foram cedidos pela Fundação Luís Figo. Para os restantes doentes, que a avaliar pelos números do ano passado do S. Marcos rondarão os 300-350, o NEMUM promoveu uma campanha de sensibilização para juntar dinheiro e contou com o apoio do hipermercado Feira Nova.»

Este gesto do NEMUM merece um enorme aplauso porque chega a todos os doentes internados, em especial aos idosos. É nesta faixa etária que se verificam os mais dramáticos casos de abandono e solidão. E, paradoxalmente, é nestas épocas que eles são mais esquecidos.

Um Arrepio

| 7 Comentários | Partilhar
Doente que queria eutanásia morre naturalmente

Os mais recentes progressos da Medicina têm confrontado a Humanidade com novos desafios. Este caso relança o debate em torno da eutanásia, apesar de assumir contornos distintos do plano em que uma certa esquerda tem colocado a discussão pública da eutanásia.

Será legítimo manter, artificialmente, um ser humano em sofrimento contra a sua vontade? Será legítimo impôr um tratamento a um homem livre e consciente?
A verdade é que qualquer cidadão deve ter o direito de rejeitar a prestação de cuidados de saúde e toda e qualquer intervenção médica deve ser consentida (com excepção do que é obviamente excepcional). Este facto, não pode isentar-nos de tudo fazermos para dar a cada ser humano todas as condições para que a decisão seja livre e consciente e para que a inimaginável tragédia que o assola seja minimizada.
Confesso que me sinto arrepiado quando leio esta notícia.
Sou, porém, incapaz de censurar. Tanto o doente como o médico.

A ler também em Causa Nossa.

Imprescindível: Democracia e Responsabilidade

| 0 Comentários | Partilhar
"O objectivo dos partidos com aspirações de governo é conquistar maiorias parlamentares que lhes permitam governar sem sobressaltos, ou seja, sem terem que prestar contas a ninguém. Todos, mas todos eles, prometem o que for necessário para alcançar esse objectivo, sabendo que, uma vez no poder, farão o que tiverem a fazer e cumprirão o que puderem cumprir."
| 1 Comentário | Partilhar
Solstício do Inverno
Hoje é a maior noite do ano.


Braga à noite, por Bruno Alves

A insuportável vergonha do futebol português

| 8 Comentários | Partilhar
A Comissão Disciplinar da Liga, quando tinha que aguardar serenamente a decisão do recurso da suspensão ao atleta João Pinto, veio emitir um comunicado onde fica patente a dualidade de critérios que presidem à atribuição dos castigos.
Precisaram de nove páginas, nove (!), para explicar a suspensão de Nuno Gomes com apenas 1 jogo, após reincidência e após vermelho directo (que supostamente sanciona faltas mais graves), quando outros atletas são expulsos por dois cartões amarelos (isto é, supostamente por acumulação de faltas mais ligeiras) e são punidos com 2 jogos de suspensão.
E após nove páginas, nove (!), de vergonha ainda se arrogam no direito de afirmar que "será sempre sem olhar às camisolas". Mas lendo com atenção percebe-se que Nuno Gomes, do "grande" Benfica, é caso único no escalão máximo do futebol português.

HAJA DECORO!

Notas Finais:
Na semana que precedeu o jogo, João Pinto veio queixar-se da ausência de cumprimento do Boavista relativamente aos salários que tinha a receber. No mesmo jogo foi expulso por (não) ter jogado a bola com a mão, quando ela foi jogada pela mão de um adversário do Boavista (era penalti!) e por supostamente ter simulado uma grande penalidade...
Há coincidências, não há?
O resultado de tudo isto é um castigo com 2 jogos de suspensão. Medida invulgar para sancionar expulsão por acumulação de amarelos e superior à aplicada a Nuno Gomes, expulso por "jogo violento".
Há coincidências, não há?

Juízes descobriram a pólvora

| 3 Comentários | Partilhar
Juízes consideram que não existe violência doméstica entre casais homossexuais

"não está minimamente demonstrado que estas situações [de violência] existem"
"a protecção da família enquanto composta por cônjuges do mesmo sexo tem um notório valor de bandeira ideológica, uma função, por assim dizer, promocional"

Como é possível pessoas deste calibre terem o poder de deliberar nos casos de discriminação de cidadãos em função da sua orientação sexual?

Me!

| 4 Comentários | Partilhar

Notas sobre o novo socialismo: Como privatizar Universidades em 8 actos?

| 1 Comentário | Partilhar
1 - Pede-se um parecer à OCDE que defenda que as universidades e politécnicos passem a ser fundações;
2 - Diminui-se dastricamente o financiamento das universidades;
3 - Não se permite que as universidades usufruam das suas receitas próprias;
4- Convertem-se as Universidades públicas em fundações;
5 - Volta a reduzir-se o financiamento do Estado às universidades;
6 - Começam a surgir notícias sobre a falta de produtividades dos professores universitários e a má atitude dos estudantes.
7- O Ministro do Ensino Superior afirma: "Perdi as universidades, os professores e os estudantes mas ganhei os grandes grupos económicos."
8 - Avança a privatização.

As voltas que o mundo dá

| 2 Comentários | Partilhar

Chamou-lhes espanhóis e agora vai treiná-los...

Apaludam!

Haja Paciência!

| 5 Comentários | Partilhar
O Apito Dourado não chega a Lisboa?

A arbitragem do Braga-Boavista está para além de tudo quanto é tolerável no futebol. Aguardemos a classificação (por parte dos observadores) da incompetência a que todos assistimos.


Quantas manchetes teríamos amanhã se os prejudicados fossem Porto, Benfica ou Sporting?
Quantos jogos estará este senhor impedido de apitar?




«Depois de na época passada, em Barcelos, ter sancionado uma bola que não entrou e penalizar o Braga com uma derrota, Duarte Gomes volta a surgir na hora errada no caminho dos minhotos.»


Auto-Golo

| 7 Comentários | Partilhar
António Salvador, reagindo à presença de "apenas" 12.000 indefectíveis no jogo decisivo da UEFA, afirmou: «Teremos de fazer alguma coisa, se calhar mudar o clube para outra cidade, para Guimarães, ou para Barcelos, ou para o Porto. Porque se calhar aí o estádio já ia encher».

Se pretendia espicaçar os bracarenses, saiu-lhe o tiro pela culatra. Conseguiu, isso sim, criar condições para o gáudio aos vimaraneses (aqui e aqui, por exemplo!) que, ultimamente, têm andado desportivamente deprimidos. Mas nisto, não há nada a criticar nos que, por Guimarães, se acotovelam em festejo. Não têm culpa da insensatez do responsável máximo do clube bracarense.

António Salvador meteu golo na própria baliza. As suas afirmações são uma verborreia execrável, só ao nível da ausência de reconhecimento público ao trabalho do Professor Artur Monteiro. Mas o auto-golo poderá ter consequências mais nefastas: os que não vão ao estádio não se sentiram minimamente beliscados pela afirmação do presidente e os que vão não conseguem disfarçar a ofensa.

Resta-me, pois, lembrar aos bracarenses que o clube e os jogadores não têm culpa do despeito do seu Presidente. E lembrar ao senhor António Salvador que não é fazendo favores a Guimarães que se conquistam os bracarenses.

Nota final: Os clubes vivem de vitórias. E como se trata de um Presidente ganhador, há que lhe dar um desconto.

Música no Hospital

| 1 Comentário | Partilhar
Desde o mês de Novembro, os utentes do Hospital de Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, têm ouvido música enquanto permanecem internados naquela unidade de saúde. O projecto “Música no Hospital” pretende alegrar o ambiente das unidades de Pneumologia e Oncologia do Hospital, com a actuação de um grupo de músicos profissionais nestes locais uma vez por semana (às quartas-feiras, entre as 11h e as 13h), durante três meses.
Esta iniciativa é organizada pela Roche Farmacêutica em colaboração com a Associação Portuguesa de Música nos Hospitais e Instituições de Solidariedade.
Para a Directora da Associação, Ana Jorge, “a música no hospital não é musicoterapia, mas sim o trabalho de músicos que conhecem a realidade hospitalar. Quem passa por uma situação de doença está sujeito, por vezes, a fases de angústia e sofrimento e foi a pensar nesta realidade que decidimos implementar este projecto, criando desta forma espaços que levem os doentes a sair, por alguns instantes, do universo em que se encontram, através de uma comunicação universal”. O projecto “Música no Hospital” foi criado em Outubro de 2004 e já passou por vários hospitais do país, como o Hospital Garcia de Orta ou o Hospital D. Estefânia, bem como por várias instituições de idosos na zona da Grande Lisboa.


Imprescindível

| 3 Comentários | Partilhar
Se Isto é um Homem é o retrato doloroso da experiência de Primo Levi num dos campos de concentração da Segunda Guerra Mundial. Uma excelente sugestão de leitura, num momento em que se tenta apagar a memória do Holocausto.

Será que Nuno Rogeiro leu?


Algumas respostas e opiniões:
O Céu a seu dono, n' O Futuro do Presente
Nuno Rogeiro em Terrão, no Relações Internacionais
Caução, n' O Arrastão
Peguntar não ofende, no Hoje há Conquilas
Nuno Rogeiro, no Blasfémias

TLEBS: uma tragédia à portuguesa

| 1 Comentário | Partilhar


A petição «Contra a implementação da experiência pedagógica TLEBS» pode ser subscrita aqui.

[a frase da noite]

| 0 Comentários | Partilhar
«O jogo ficou condicionado pelo lance da primeira parte. O Tonel veio contra mim, fez falta. Se fosse a favor do Sporting teria sido assinalada, como jogamos na Académica, ainda somos muito pequeninos. Os árbitros têm um critério muito alargado e, infelizmente, o peso das camisolas ainda é muito grande»

Rivoli: o que já esperava...

| 0 Comentários | Partilhar
Rui Rio entregou a gestão do Rivoli a Felipe la Feria. Tal como se esperava.
O concurso foi feito à medida do encenador português. E o resultado não surpreende.
Mau prenúncio para a cultura portuense.

«Estava-se mesmo a ver: Rui Rio vai entregar a gestão do Rivoli à produtora de Filipe La Féria. Venham de lá as "grandes produções" revisteiras, os musicais à la Broadway dos pobrezinhos, o fogo-de-artifício para contentar o povão e satisfazer a ideia de cultura do autarca que tem alergia a subsídios.»

Moreira quer ser Vizela

| 12 Comentários | Partilhar
A notícia não é nova. Moreira de Cónegos quer ser integrada no Concelho de Vizela. Não vejo impedimentos para que este intento dos moreirenseses não venha a ser concretizado.
Não implica a criação de novas estruturas administrativas nem aumento da despesa, mas apenas uma reorganização administrativa. A bem das populações.

O Alterne

| 2 Comentários | Partilhar
Estamos destinados ao alterne.
É esta a ideia que fica quando assistimos a um (a)pito que tem dado muito que falar, mas do qual não se vislumbram consequências. O futebol é, tão somente, o espelho do país.
Um país em que há uma certa gente que, integrando o PSD, o PP ou o PS e a Maçonaria ou a Opus Dei, vai decidindo das nossas vidas e fazendo Portugal continuar atrasado (porque a melhor forma de se governarem é mantendo o país no atraso estrutural e mental em que estamos desde que D. João II se finou). Essa gente perde eleições, mas nunca perde o emprego.
Vão alternando entre o Governo, a Assembleia da República, as agências governamentais disto e daquilo, os conselhos de administração das empresas públicas e uma ou outra empresa privada.
Mudam-se as caras mas, no essencial, mantém-se as políticas. Manuela Ferreira Leite não faria diferente do que José Sócrates faz. Porque, na realidade, são todos filhos da mesma casta: uma gente que nunca fez nada da vida a não ser o jogo partidário em que vão alternando, mais à «esquerda» ou mais à «direita».
A anunciada redução dos funcionários públicos será, por si só, mais uma edição do alterne em que Portugal se transformou. Sem critérios conhecidos e, porque, mesmo existindo, serão concerteza à medida, sabe-se já que ficarão aqueles que melhor conseguirem vender os seus serviços, seja através da militância politico-partidária ou religiosa seja de um lastimável tráfico de influências que grassa como erva daninha.

Será tempo de nos interrogarmos para onde vai este país.
Ou estaremos mesmo destinados a não ser mais que uma casa de alterne rasca?

A Última Esperança

| 2 Comentários | Partilhar
Maria José Morgado que, durante anos a fio, levantou a voz denunciando a corrupção no futebol tem agora uma oportunidade de ouro para passar das palavras aos actos. Actos que, com toda a certeza, levarão ao desmantelamento da máfia que se anuncia todos os dias nos órgãos de comunicação social nacionais.
Se falhar, todas as nossas esperanças na justiça nacional sucumbirão às mãos de uma insuportável quadrilha que anda a (des)governar o país.

Circo maltrata animais

| 1 Comentário | Partilhar

A Associação ANIMAL voltou a lembrar o uso degradante de animais nos circos.

Num país em que os chamados VIP's gostam de se pavonear nas bancadas da tourada, não admira que as autoridades ignorem os sucessivos apelos que têm surgindo contra a utilização pouco ética de animais em espectáculos.


E quem gosta de circo tem sempre outra opção (com qualidade!).

Circuncisão reduz o risco de infecção por HIV

| 0 Comentários | Partilhar
Um estudo revelou que os homens circuncidados heterossexuais são menos vulneráveis à infecção com o vírus da SIDA, provado em 50% dos resultados de duas pesquisas africanas.

A circuncisão reduz em cerca de metade o risco para os homens de serem infectados pelo HIV, embora não ofereça uma protecção completa, segundo os resultados publicados quarta-feira de dois estudos conduzidos no Quénia e no Uganda.

O resultado destes estudos é animador. Mas não haja confusões.
A forma mais segura de evitar o contágio por HIV continua a ser o uso de preservativo.

Bem ou Mal...

| 2 Comentários | Partilhar
...o Governo Socialista prepara-se para despedir funcionários públicos, ao arrepio do que houvera prometido aos portugueses.

Que venham eles!

| 0 Comentários | Partilhar


Rangers (Escócia)
Tottenham (Inglaterra)
Blackburn (Inglaterra)
Newcastle (Inglaterra)
Parma (Itália)
Espanhol (Espanha)
Panathinaikos (Grécia)

Braga vs Grashoppers

| 5 Comentários | Partilhar

Fez-se História!

Continuar a Acreditar

| 5 Comentários | Partilhar
O Vitória de Guimarães celebrou um procolo com a "Acreditar", Associação de Pais e Amigos de Crianças Com Cancro que inclui a inclusão de publicidade à associação na frente das camisolas do Vitória de Guimarães, a entrega de parte das receitas das lojas do clube e a cedência de lugares para que as crianças e seus pais possam assistir a algumas partidas de futebol.

Apesar da rivalidade (que se quer saudável!), expresso aqui todo o meu respeito por esta excelente iniciativa do Vitória Sport Clube da cidade de Guimarães.

O Curandeiro

| 7 Comentários | Partilhar

Fica-lhes tão mal...

| 5 Comentários | Partilhar
O Campus de S. João, shopping center nas imediações do Hospital de S. João, assiste todos os dias ao desfile de inúmeros profissionais do referido Hospital vestidos com as mesmas batas com que atendem os pacientes.
Será que por ali não existe Comissão de Controlo de Infecção?

Os riscos para a saúde pública podem ser mínimos, mas fica-lhes tão mal...
E tudo se resolveria com um simples gesto: remover a bata antes de ir almoçar.

Um café com sabor a ciência...

| 1 Comentário | Partilhar
Decorreu na passada terça-feira, a primeira edição o Café Scientifique de Braga.
Uma sessão muito interessante sobre a Energia em que a Professora Isabel Calado Ferreira traçou os vários cenários e desafios com que a humanidade se depara em termos energéticos.
Aos organziadores, as mais sinceras sinceras felicitações.

Que se faça tradição!

[blogstorm]

| 0 Comentários | Partilhar
- Finalmente lucidez numa crítica a essa Floribela do estudante de Medicina que é o tal House. No Blues por um Interno, tal como já aqui havia sido dito.

- As estranhas e inaceitáveis ligações entre justiça e futebol postas a nú. No Blasfémias.

- O deprimente elogio do ditador feito por quem se afirma liberal dos novos dias. No Blasfémias, again.

- A revolução anunciada, no Causa Nossa.

Morreu o ditador...

| 8 Comentários | Partilhar


...que era «um católico exemplar» (sic!)

RTP

| 1 Comentário | Partilhar
Porque é que a RTP não faz como a Renascença e se assume como apoiante do Governo e deste ou daquele partido político?

A ideia de debater a câmara de Lisboa numa televisão nacional é já de si discutível.
Farão o mesmo para as restantes 307 autarquias?

A escolha dos intevenientes é lamentável. Estarão representados o 1º, 2º, 3º e.......... 5º partidos mais votados.
Uma vergonha...

Nem dá para acreditar

| 3 Comentários | Partilhar
Criança de 4 anos acusada de assediar sexualmente uma professora.
Nos E.U.A., está claro!

O Desafio

| 1 Comentário | Partilhar
Cláudia Melo é a nova Presidente da ANEM. Tem pela frente um caminho árduo e difícil na busca de consensos e sinergias entre as associações de estudantes das sete escolas médicas de Portugal. A Educação Médica vive momentos particularmente agitados pelo que o mandato que hoje se inicou será extremamente exigente.

O Governo parece determinado na incauta ideia de formar médicos sem qualidade e para o desemprego. Vale tudo - desde sobrelotar escolas com aumentos obstinados e poucos razoáveis do numerus clausus até admitir licenciados de outras áreas sem se saber como nem em que condições ingressam no curso de Medicina.

Os estudantes de Medicina parecem destinados a decorar a função do gene NKX2-5 para poderem ser ortopedistas ou médicos-legistas. Há quem esteja mais preocupado em decorar 900 páginas que em perceber a (ir)racionalidade de tudo isto.

Estes são alguns dos temas em que a Cláudia Melo terá de representar e defender os pontos de vista dos estudantes de Medicina. Conhecendo-a como conheço (acompanhou-me nos 2 mandatos em que presidi ao NEMUM), não tenho dúvidas em afirmar que a Cláudia estará à altura do desafio (e que desafio!).

Maravilhas de Portugal

| 7 Comentários | Partilhar


Pegou moda escolher as 7 Maravilhas de tudo e mais alguma coisa.
E, nestas coisas fúteis e teatreiras, Portugal está sempre na linha da frente.
Não contem comigo para esta festa.

Indispensável

| 2 Comentários | Partilhar
Num dia em que toda a blogosfera fala acerca do artigo de João Andrade Peres (no Expresso e também online aqui), sugiro a leitura deste texto do Professor Álvaro Gomes e ainda do livro Blues pelo Humanismo Educacional, do mesmo autor.

O artigo de João Andrade Peres na blogsofera:
Origem das Espécies
O Insurgente
Aspririna B

C. M. Braga - um orçamento de futuro

| 5 Comentários | Partilhar
A Câmara Municipal de Braga paga 5,5 milhões de euros para reembolso de empréstimos e 3,5 milhões de euros para juros, o que perfaz a módica quantia de 9 milhões de euros por ano. É a obra do regime, é um facto. Compará-la ao CCB ou ao Theatro Circo é um absurdo. Trata-se de um recinto monodesportivo que serve apenas um clube da cidade, serviço que poderia fazer-se com um estádio bem mais modesto.
Os proveitos do turismo associado à originalidade do novo estádio também não parece compensar tamanho investimento, a ponto de o valor pago anualmente em juros ser superior ao investimento da Câmara de Braga nas áreas da Educação, Acção Social, Trânsito, Segurança e Actividades Económicas.
A construção do novo estádio de Braga, o mais bonito e o mais "derrapado" do mundo, estrangulou o orçamento da Câmara de Braga que volta a investir no Parque Norte para construir umas piscinas, em vez de apostar num Pavilhão Multiusos que permitiria não só a prática desportiva, mas também a realização de outro tipo de eventos culturais.

As Canções da Naifa, Theatro Circo 2006

| 3 Comentários | Partilhar
Uma sala grandiosa.
Uma plateia esgotada.
Uma guitarra portuguesa.
Uma voz cristalina.
Vários poemas.
Muitos aplausos.
Um concerto memorável.

Fiat Lux

| 1 Comentário | Partilhar
Federação acusada de violar a lei no caso de doping de Nuno Assis

«De acordo com o parecer consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR), a que a Lusa teve acesso, a decisão de arquivar o acórdão da Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, tomada pelo Conselho de Justiça (CJ) em 14 de Julho, deve ser revogada e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) pode ficar com o Estatuto de Utilidade Pública Desportiva suspenso se não o fizer.
Além do Estatuto de Utilidade Pública, caso o acórdão não seja revogado, podem ficar igualmente suspensos os contratos-programa celebrados entre a FPF e o Estado que estão em execução, cujo valor é superior a 500 mil euros.»

Pelo que aqui foi escrito em Julho de 2006, está a começar a fazer-se justiça.
Aguardamos que a decisão de despromover o Gil Vicente, tomada pela mesma Comissão, seja também considerada ilegal o mais brevemente possível.

A "grande marcha" e "o que diz a Europa"

| 1 Comentário | Partilhar
O excesso de informação é, sem dúvida, uma das mais irónicas formas de manter uma população desinformada. Todos os dias somos bombardeados com Gb de informação pelo que é extremamente difícil arranjar tempo para assimilar e digerir, com a necessária racionalidade, tudo o que nos chega através da internet, dos jornais ou da televisão.
Vou citar 2 exemplos que espelham como se pode manipular informação.

No post que intitula de Sociedade francesa contra o aborto, Orlando Braga diz que "vai-se realizar em Paris a 21 de Janeiro de 2007, uma grande marcha de apoio à vida e naturalmente, contra o aborto."
Curiosamente, a única referência que encontrei ao número de participantes na última grande marcha é conclusiva: "La "Marche nationale pour la vie" a rassemblé le 22 janvier à Paris plus de 5000 personnes selon les organisateurs et 2000 selon la police."
O conceito de grande marcha é relativo. É um facto. Mas duvido que 5.000 pessoas (o número considerado pela organização) possa considerar-se uma grande marcha em Paris (estavam bem mais gente nas manifestações contra o encerramento da Maternidade de Barcelos!).
Mas não é tudo. Quem estava na rua não era, afinal, a "sociedade francesa". Como pode ler-se: "Beaucoup d'étrangers, suisses, allemands, belges et espagnols avaient pris place dans le cortège qui est parti de la place de la République vers l'Opéra."
Será que, em 2007, a grande marcha será diferente? Tenho muitas dúvidas.

O título do post O que diz a Europa sobre o referendo do Aborto, do mesmo Orlando Braga, é concerteza um lapso. O autor quereria dizer "O que se diz na Europa sobre o referendo ao Aborto". É que o post não é mais do que a transcrição de um texto de opinião de um tal "Martin Helme" - uma mera opinião pessoal e nunca "o que a Europa diz sobre o referendo". Mas vejamos quem é esse tal Martin Helme: "Martin also runs the conservative Estonian website Syndicate of Common Sense."
Será que o que diz este conservador é o que diz a Europa?

São pequenos pormenores capazes de (des)informar. Mas só os mais distraídos.

Palavras para quê?

| 0 Comentários | Partilhar

Via Arrastão

Argumento tão legítimo como o daquelas senhoras que abortaram em Espanha e dizem, agora, que estão arrependidas e que não admitem que outras senhoras que, não tendo dinheiro para suportar a ibérica travessia, abortem com dignidade em Portugal.

Lembram-se?

| 2 Comentários | Partilhar
Valentin Ivanov foi o escolhido pela UEFA para arbitrar o jogo que decidirá o futuro do Braga na Taça UEFA (é no dia 14, no Municipal de Braga ante o Grashoppers).
Valentin Ivanov é conhecido de todos os portugueses por ter apitado, da forma polémica que se viu, o Portugal-Holanda do último Mundial de Futebol.

Assim se escreve na Wikipedia.org sobre ele:
«Foi bastante contestado na mesma, nomeadamente pelo presidente da FIFA Joseph Blatter, pela sua actuação no Portugal - Holanda dos oitavos de final da Copa do Mundo de 2006, em que mostrou 16 cartões amarelos e 4 vermelhos. O jogo fica na história por bater o recorde de cartões mostrados num jogo da Copa do Mundo

Mas há quem goste. Vejam aqui.

Café Scientifique

| 1 Comentário | Partilhar


A primeira sessão do Cafe Scientifique - Braga é dia 11 Dezembro, às 21.45h.
Mais informações aqui.

Estado Laico

| 0 Comentários | Partilhar
«O reino de amor e de paz de Cristo é o reino do socialismo, o reino do futuro venezuelano» [Hugo Chavéz, 2/12/2006]

Qualquer semelhança com o célebre «God bless America» não é pura coincidência. Só gostava de perceber porque é que os que idolatram a América odeiam Chavéz. E vice-versa.

Comunicado

| 1 Comentário | Partilhar
É com grande tristeza que, no decurso da campanha eleitoral, me vejo obrigado, na qualidade de Presidente da Mesa da Reunião Geral de Alunos (RGA) da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), a refutar publicamente as acusações lançadas pelo candidato Hugo Monteiro, relativamente ao órgão a que presido.
1. As RGA’s são o órgão máximo da AAUM, nelas tendo assento todos os estudantes da academia minhota.
2. As RGA’s são, por excelência, o órgão de representação da vontade soberana dos estudantes.
3. Durante este ano, os estudantes da Universidade do Minho revelaram um grande sentido de responsabilidade, tendo as RGA’s registado níveis de afluência significativamente superiores aos de anos anteriores.
4. Todas as RGA’s foram pautadas por um clima de seriedade e salutar convivência democrática. A Mesa da RGA manteve-se ao serviço exclusivo dos interesses dos estudantes.
5. As afirmações do candidato Hugo Monteiro são graves e demonstram um profundo desconhecimento dos órgãos e do modo de funcionamento da AAUM, não podendo deixar de ser interpretadas no contexto da campanha eleitoral. No entanto, qualquer referência aos órgãos da AAUM, sobretudo às RGA’s, deve ser mais ponderada e justificada e não basear-se na acusação gratuita que revela um profundo desconhecimento de causa directamente proporcional à participação do candidato nas mesmas.

AAUM, 2 de Dezembro de 2006
O Presidente da Mesa da RGA,
Pedro Morgado.

Bracarenses, seu estúpido!

| 7 Comentários | Partilhar

13 meses depois

| 3 Comentários | Partilhar

3 vitórias consecutivas

Quem fala assim não é gado!

| 4 Comentários | Partilhar

AMI instala-se em Braga

| 1 Comentário | Partilhar
A Fundação Assistência Médica Internacional (AMI) vai instalar-se em Braga a partir de terça-feira, assim institucionalizando a sua delegação regional. A instalação desta "organização não-governamental" na terceira cidade do país é facilitada pela cedência de um espaço por parte do Município de Braga.
A formalização da entrega da sede - situada no primeiro andar de um prédio municipal entre as ruas D. Frei Caetano Brandão e D. Afonso Henriques, na freguesia da Sé, em pleno centro histórico de Braga - acontece precisamente no Dia Internacional do Voluntariado, terça-feira, pelas 16 horas.

Justiça à Moda do Minho

| 5 Comentários | Partilhar
fafe e barcelos - crime

Em Fafe e em Barcelos a justiça faz-se à antiga. Há mais "porrada" que desastres de viação. O povo nunca se engana: «Em Fafe ninguém fanfa

[citação do dia]

| 1 Comentário | Partilhar
«O primeiro acto da visita papal à Turquia consistiu numa homenagem a Kemal Atatürk. o fundador da Turquia moderna, autor da separação do Estado em relação à religião. É caso para perguntar se o Vaticano vai também homenagear os estadistas dos países católicos que estabeleceram a separação entre o Estado e a Igreja católica (contra a encarniçada oposicição dos seus antecessores).
Ou será que a separação só é boa quando se trata do Islão?»

[divagações]

| 2 Comentários | Partilhar
Não há pior prisão que a que nos é imposta pelo nosso próprio corpo.

Sobre o Primeiro de Dezembro em Braga

| 0 Comentários | Partilhar
"A notícia chega a Braga a 4 de Dezembro. Antecendendo a decisão por parte do Senado bracarense de aclamar o Rei, o que só acontece no dia 11, logo a classe estudantil dá largas ao seus entusiasmo: «Forão os estudantes os primeiros, os quaes com aprazimento, e ordem de seus Mestres repicando-se o Relogio, e mais sinos do Collegio da Companhia de JESU (sic), e logo os da Sé correrão as ruas dando vivas, e aclamando sua Magestade...»
Cunha, MH. O 1º de Dezembro. In Tradições Académicas de Braga (2001) Braga: AAUM.

"Passou este anno quasi despercebido nas differentes terras do Minho o dia 1º de Dezembro, data da independencia portugueza. Em Braga, comtudo, algumas manifestações se fizeram, ainda que bastante desanimadas"
Comércio do Minho, 6 de Dezembro de 1887

"Se não fossem elles, os rapazes, o dia de hoje passaria quasi desapercebido em Braga. As manifestações officiaes estão redusidas á côrte e a uma ou outra cidade mais importante,... No resto do paiz, esta data nem é recordada. Braga, porém, protesta contra esta lethargia..."
Comércio do Minho, 1 de Dezembro de 1896

Primeiro de Dezembro em Braga

| 10 Comentários | Partilhar
O Primeiro de Dezembro é o dia do Estudante e do Orgulho bracarenses. Os estudantes bracarenses reúnem-se, de véspera, no Parque de Exposições para celebrar a Restauração que, por aqui, é a sua festa.
Celebra-se a coragem daqueles que, no Minho, foram os únicos a celebrar a Restauração da Independência e o fim da subjugação à coroa espanhola.
E, enquanto aqui ao lado se discute o destino a dar às Nicolinas, em Braga faz-se do Primeiro de Dezembro a festa de todos os estudantes.
"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores